galeria post recente

Entrevista - Eco Literário - Carlos Santiago

01. Como foi para você escrever o livro participante do Projeto ECO Literário? Em quanto tempo o escreveu?
R: Foi algo divertido e necessário. Escrevi ele em pouco menos de seis meses, considerando o tempo que eu semanalmente ia escrevendo os capítulos e publicando no wattpad

02. Como surgiu a ideia para o livro?
R: Quando eu morava em Curitiba, eu sempre que possível conversava com os moradores de rua e ouvia as suas histórias. Eles apenas queriam alguém que os ouvisse e durante um tempo, eu fiz isso. Me mudei para santa catarina e todas essas conversas ficaram na minha memória. Quando fiquei desempregado, eu precisei me agarrar em algo para não surtar, e então, resolvi escrever para ter um objetivo e esquecer dos problemas. Então eu diria que a idéia surgiu de uma valvula de escape para meus problemas

03. Quais temas aborda em seu livro?
R: O livro fala muito sobre aquele preconceito que todos temos, o de entrarmos em modo de defesa quando vemos um morador de rua. Fala também sobre amizade e sobre a superação dos problemas que não importa a nossa classe social, todos acabamos por ter.


04. Qual parte foi mais difícil escrever?
R: Uma das partes do livro é sobre a viagem de volta e um dos protagonistas. Ele para em uma sapataria onde conheceu uma pessoa e a ajudou. Esta parte eu precisava abordar suicídio e eu fiquei escrevendo até me sentir satisfeito. Não sou de reescrever capítulos, normalmente, o que acabam lendo é o que escrevi de primeira. Mas esse capitulo eu tive umas seis versões. No fim, acabei me decidindo por uma delas e tendo que me conformar que não existe uma forma boa de se abordar o assunto. Mas está lá e espero ter feito um bom trabalho.

05. O que te motiva a escrever?
R: A vontade de contar histórias. Simplesmente isso. Não é dinheiro, fama, reconhecimento. É o desejo de contar uma história que me faz continuar escrevendo, não importa se a ideia é boa ou ruim.

06. Algum personagem é baseado na sua vida?
R: Acho que deste meu livro, todos tem um pouco de mim. Thomas tem suas coisas que guarda e pra maior parte das pessoas, não tem valor algum. Edison tem essa falta de confiança tão comum diante da vida. Jonas tem essa grosseria sincera que acho que a maioria das pessoas conhece. Mas são características tão comuns que imagino que todos que leram acabaram por se identificar com os personagens por esses mesmos motivos.

07. Já tem alguma ideia para outro livro?
R: idéias tenho aos montes. Mas a vontade de escrever elas não. Então elas se tornam arquivos minúsculos no meu celular, no e-mail ou na minha desktop, para escrever quando for a hora certa

08. Tem algum projeto futuro que quer dividir conosco?
R: Tenho dois livros que estou trabalhando no momento. Um conta a história de um trem e o passageiro que está nele. Vai ser um livro estilo faroeste e ação. E o outro que estou escrevendo é sobre um homem que sonha com a morte e os desenrolares recorrentes desse sonho. Será um romance com toques sobrenaturais. Sem contar os contos que ocasionalmente escrevo e uma hora, junto todos em uma coletânea.

09. Quando descobriu que queria ser escritor (a)?
R: É difícil definir isso, o momento que eu resolvi parar de apenas ler histórias e escrever as minhas, mas a vontade de escrever sempre existiu. Eu só precisava escrever a primeira palavra e continuar até chegar a ultima. Geralmente funciona.

10. Você se sentiu apoiado para escrever e posteriormente publicar seus livros?
R: Sempre tive amigos que gostam muito de ler e escrever. Minha namorada também é uma leitora compulsiva e me ajudou em cada passo dessa jornada. Foi uma dessas amizades que me apresentou a editora que me publicou.

11. Quais as maiores dificuldades que você enfrentou ao longo dessa caminhada (começar a escrever até publicar)?
R: A maior dificuldade acho que é a mesma de sempre. achar tempo na rotina para sentar e escrever. Vejo muita gente que senta na frente do pc e escreve que nem doido, sem ser incomodado ou precisando fazer algo. Depois disso, foi arranjar um lugar para colocar essa história e dei sorte em ser apresentado ao Wattpad um pouco antes disso. Após publicar, a maior dificuldade é a mesma de todos autores, achar um publico que esteja interessado em pagar pela história e ler.

12. Qual conselho quer deixar para essa galera jovem que tem interesse ou que já está escrevendo uma história?
R: Escreva, escreva, escreva. Da mesma forma que quando você joga uma bola na cesta e vai errar feio, o próximo lance vai chegar mais perto e mais perto. Quando acertar, é questão de mais prática e prática até que isso se torne algo natural. Escrever é a mesma coisa. Você vai escrever muita coisa ruim. E isso não é nenhum problema! Mas cada coisa ruim que escrever, cada critica negativa que receber, se ouvir, vai te deixar mais perto de acertar. Claro, existe aquelas pessoas que acertam de primeira e não vou negar a existência delas, mas acima de tudo, acredite que você sempre pode fazer melhor. Seja acima de tudo, um bom ouvinte de criticas. É muito fácil aceitar os elogios de todas aquelas pessoas que dizem que você escreve bem e odiar quem faz uma critica. Se ela é gratuita e apenas ofensiva, tudo bem. mas quando ela te diz as coisas que precisa melhorar... ouça. Entre tantas pessoas, achar aquela que teve a coragem de dizer que “olha, talvez você esteja errado em ter escrito isso” é tão raro que vale a pena parar um pouco pra ver os motivos dela. Então... escrevam. E escrevam pelo que querem, não pelo que os leitores desejam.

Jogo rápido
Um autor (a): Douglas Adams
Um livro de cabeceira: Deuses Americanos, de Neil Gaiman
Uma série de TV: The office
Um lugar: quieto, de preferencia
Ler ou escrever: ler
Uma frase: "O sentido disso tudo é que não há sentido em tentar enlouquecer para impedir-se de ficar louco." Frase de Douglas Adams

Conte um pouco sobre você: tenho 32 anos, divorciado, um filho, escrevo todos tipos de gênero, só ter um bom motivo pra isso. Moro em santa catarina, mas nasci em Curitiba. Namoro uma garota de são Paulo e a pedi em casamento recentemente, então logo ela evolui de namorada pra esposa.

Conheça mais sobre o projeto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Blog Emoções em páginas - 2017 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Renata Massa | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo